Durante a crise, custos do varejo cresceram muito acima das vendas

Em 2015, as despesas operacionais do varejo brasileiro tiveram um crescimento de 15,4%, contra um aumento de vendas de 7,3%, com impacto mais forte sobre os segmentos mais dependentes de crédito, como eletrodomésticos. O número, que evidencia ainda mais o quanto as empresas do setor sofreram com o recrudescimento da crise econômica do País, faz parte da mais recente edição da Pesquisa Anual do Comércio (PAC), do IBGE. “A PAC traz números sensacionais, mas que infelizmente são disponibilizados apenas 18 meses depois do fim do período analisado”, comenta Luiz Góes, diretor da Lytics – Gestão da Informação. “Ainda assim, é um instrumento valioso para entendermos melhor o desenvolvimento do setor”, afirma.

Segundo Góes, que é responsável pelo desenvolvimento do Snapshot Consumo da SBVC, a PAC também mostra um aumento da importância do varejo para a economia brasileira: se em 2007 o setor representava 39,8% do comércio, em 2015 esse número saltou para 44,3%. O atacado também avançou, de 44,8% para 45,4%. “O maior impacto da crise se deu sobre o setor automotivo, que passou a representar somente 10,3% do comércio brasileiro, contra 15,4% no fim da década passada”, diz.

Fonte: Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo

Posts Em Destaque
Posts Recentes