Multiplan traz proposta de shopping mais interativo

A Multiplan entrega hoje as chaves das lojas do ParkShopping, em Canoas. O investimento de R$ 750 milhões, incluídas obras adicionais, deve gerar 3 mil empregos diretos. O presidente, fundador e principal acionista da Multiplan, José Isaac Perez, adiantou à coluna que o shopping vai “surpreender” a Região Metropolitana. E surpreendeu a coluna ao se adiantar:

– Vou dizer mais uma coisa, não sei se você vai perguntar, sobre o governo. Não é popular, mas está no caminho certo. Sem entrar no mérito da política, só um governo que não tem necessidade de ser populista seria capaz de fazer reformas que há mais de 50 anos esperamos que sejam feitas.

Esse momento representa a entrega da obra?

Estamos praticamente prontos. Vamos inaugurar em meados de novembro. Estamos fazendo um evento para entregar lojas. Nosso objetivo é surpreender, não só a região de Porto Alegre e Canoas, o sul do Brasil, mas todo o país. Trazemos uma nova proposta de shopping, mais contemporâneo, com a era da tecnologia. É mais interativo, muito “resort”, tem uma série de elementos inéditos que normalmente os shoppings brasileiros não têm. Um dos mais importantes é a integração com o parque Getúlio Vargas. De lado, há uma construção moderna, avançada, com rinque de patinação no gelo, é um verdadeiro estádio montado dentro do shopping. Até eu, que estou acostumado a esse negócio há muitos anos, fiquei surpreso. E essa integração que se fará com o entorno representa uma grande transformação nessa região.

Como um shopping pode ser mais interativo?

Oferece mais espaços de lazer, áreas de entretenimento, vai se integrar ao parque Getúlio Vargas, tem um centro de eventos que não existe em Porto Alegre, moderno, para 1,2 mil pessoas, multifuncional, multiuso, porque tanto pode abrigar um espetáculo de teatro, um evento, tem infraestrutura já moldada, pé direito de 14 metros. Pode fazer até circo lá dentro.

E no que se assemelha a um resort?

É porque tem um parque ao lado, que é uma moldura do shopping. O acesso ao parque será muito fácil. Estamos em vias de concluir uma passarela para facilitar a travessia entre os dois.

O shopping foi construído em momento de intensa crise…

Tínhamos um cronograma, começamos o shopping um pouco antes da crise e entramos crise adentro. Não paramos, porque a companhia assume compromisso com os varejistas de determinadas datas, e cumpre. Podemos até admitir que os outros possam errar, mas a gente não pode.

A crise causou revisão do mix?

É normal ter alguma alteração até definir claramente. Houve algumas mudanças, nenhuma substancial. A conclusão estava prevista para junho e estamos fazendo para novembro. É um adiamento para garantir as melhorias que introduzimos. Mas temos hoje 85% das áreas contratadas. Como vai ficar pronto antes do Natal, acredito que vamos ter surpresa agradável apesar da crise. Talvez sejamos a única empresa de shopping do Brasil que está entregando um shopping nesta data.

O que fez manter o cronograma, apesar das dúvidas que surgiram?

Toda crise passa, tudo passa. A crise tem um tempo, mas depois passa, já está passando. Nossa rede de shoppings tem apresentado indicadores muito bons. Somos uma empresa que acredita no Brasil e temos orgulho de termos contribuído para a renovação das formas de empreender em shopping centers, particularmente, já que somos pioneiros.

A Multiplan vê reação, já que seu lucro cresceu 5,9% no segundo trimestre?

Houve a denúncia contra o governo, que foi traumática. Até maio, vínhamos apontando para crescimento acima de dois dígitos, em março e abril. Aí chegou maio, caiu, sofreu um pouco, mas junho e julho indicam recuperação.

Esse resultado está sendo construído pelo efeito de recuperação ou apesar da incerteza que ainda existe?

Reflete, sobretudo, redução do juro, aumento nas vendas, e aumento do lucro. O lucro também é reflexo de aquisições que fizemos no ano passado, de participações importantes em shoppings que já pertenciam à própria Multiplan. Concluímos outra no começo deste ano. Foram cerca R$ 700 milhões de investimento. No ano passado, investimos em torno de R$ 1 bilhão. Vou dizer uma frase que parece ironia, mas é verdade, aprendi ao longo da vida: a crise é boa porque os outros acreditam. Ou seja, quando todo o mercado para, sobra espaçozinho para você andar. Sou empresário há cerca de 50 anos, então imagine por quantas crises já passei na vida, no Brasil, fora do Brasil. A empresa também tem uma experiência em Portugal, nos Estados Unidos. Nosso objetivo aqui é entregar algo com poder transformador para a região.

Houve redução de custos por causa da crise?

Não, fizemos acréscimos para melhorar o que tínhamos projetado. Fizemos investimentos que estavam fora do previsto mas entendemos necessários. O Brasil é outro país, o mundo mudou, e a gente tem de acompanhar a tendência. Por exemplo, ninguém imagina que nós faríamos aquelas reformas no parque Getúlio Vargas, e fizemos. O shopping será muito sustentável, com reutilização de água, captação de esgoto, transformação de esgoto, energia solar. Não dá autossuficiência, mas gera redução nos custos de energia para lojistas.

Houve um movimento de lojistas, no BarraShoppingSul, em que a Multiplan ficou com imagem de difícil. Isso é verdade?

Não é verdade. A Multiplan está sempre aberta à negociação. Esse movimento ocorreu em outros shoppings. Às vezes você tem dentro de um shopping um grupo mais atuante. Temos cerca de 20 empreendimentos. Não quer dizer que não tenhamos em outros lugares, mas sempre sentamos, negociamos, somos flexíveis. Se não fôssemos, não seríamos uma empresa tão bem avaliada. Quem diz isso não sou eu, é o mercado. Se perguntar aos varejistas nacionais, ao mercado financeiro, por que a Multiplan se destaca, vão dizer que é pelo compromisso de fazer as coisas bem feitas, fazer melhor, surpreender o consumidor, oferecer alternativas que não estão hoje no cardápio dos shoppings brasileiros. Inauguramos o BarraShoppingSul em 2008, no meio de uma grande crise. Na época, eu disse: ‘Esse shopping é à prova de crise’. Uma empresa internacionalmente reconhecida, a Apple, por exemplo, colocou as duas únicas lojas que tem no Brasil em shoppings da Multiplan. A primeira da América do Sul é no Village Mall, na Barra da Tijuca, e a segunda no Morumbi Shopping, em São Paulo. Eles acreditam na nossa capacidade de gerir e melhorar aquilo que já está feito.

Fonte: SBVC.

Posts Em Destaque
Posts Recentes