Dirigentes da CDL POA entregam pauta de reivindicações de lojistas ao superintendente do BarraShoppi


Uma comitiva da CDL Porto Alegre foi recebida na tarde desta quarta-feira (19) pela superintendência do BarraShoppingSul. O encontro contou com a presença do presidente da CDL POA, Alcides Debus, da presidente do Comitê CDL POA Shopping, Nilva Bellenzier, e do assessor jurídico da entidade, Fernando Fabris. O superintendente do empreendimento, Marco Aurélio de Viçoso Jardim Neto, recebeu o grupo, que veio apresentar algumas propostas sugeridas a partir de relatos dos próprios lojistas do BarraShopping.

A CDL POA, enquanto entidade mediadora, ao longo das últimas semanas vem recebendo comerciantes que reclamam, especialmente, da falta de fluxo de consumidores no shopping, do alto valor dos alugueis e do fechamento de lojas. Assim, o Comitê da CDL POA entregou um documento com uma série de propostas (veja mais abaixo, na íntegra), solicitadas pelos lojistas, com o pedido de que sejam respondidas até o próximo dia 3 de novembro.

Segundo o presidente Alcides Debus, a CDL POA tradicionalmente tem uma boa relação com os shoppings. “Entretanto, antes mesmo de assumir o cargo, em janeiro de 2016, comecei a receber demandas sobre a dificuldade de os lojistas sobreviverem nos centros comerciais e a falta de diálogo com a administração dos empreendimentos. Tanto que, na minha gestão, criamos uma vice-presidência para estreitar esta relação com os shoppings, com o objetivo de conquistar melhores condições para os lojistas”, explicou Debus. Em abril deste ano, a entidade criou um grupo no Facebook e, posteriormente, este site.

Já a presidente do Comitê CDL POA Shopping, Nilva Bellenzier, disse que o tema é grave, uma vez que inúmeras famílias investiram a economia de toda uma vida para abrir lojas no estabelecimento e hoje veem o sonho acabar. “Várias lojas e até grandes redes já fecharam no Barra, nos últimos meses, e há o risco de outras passarem lá o último Natal caso a situação não mude”, avaliou.

Reivindicações

Os empresários que contataram a CDL POA solicitaram que a entidade apresentasse ao Shopping, com urgência, a proposta com as seguintes reivindicações:

• devolução pelo Shopping das luvas aos lojistas ou diminuição do valor do aluguel pelo tempo necessário para cobrir a importância paga pelo lojista pelo ponto em relação aos que estão na nova praça de alimentação do empreendimento, eis que inexiste fluxo de pessoas e de novos restaurantes;

• extinção do aluguel mínimo para os pequenos e médios, estabelecendo-se valor isonômico de percentual, não excedente a 10% sobre o custo total de ocupação, incluindo neste o condomínio;

• extinção do pagamento do 13º aluguel, inclusive para este ano;

• alteração de contratos somente mediante assinatura, pelas partes, de aditivo contratual;

• estabelecer promoções para o público externo, com isenção ou desconto no valor do estacionamento, caso haja consumo mínimo pelo consumidor no shopping.

• realização de ações de Marketing do Shopping que efetivamente atraiam clientes, lembrando que o empreendimento, em regra, tem estado notoriamente vazio de segunda à quinta-feira e com público muito reduzido nos finais de semana;

• maior transparência nas prestações de contas, na apuração do CTO e das despesas individuais.

Posts Em Destaque
Posts Recentes